Nova obra atribuída a Banksy é descoberta em Londres

Grafite supostamente feito pelo misterioso artista britânico fica próximo a local onde foram realizados protestos do movimento ambiental Extinction Rebellion e traz mensagem de apoio à causa.

Um novo grafite atribuído ao artista britânico Banksy foi descoberto nesta sexta-feira (26/04) perto do monumento Marble Arch, no centro de Londres, onde ativistas ambientais do movimento Extinction Rebellion (Rebelião da Extinção) acamparam durante dias.

Localizada num dos cruzamentos mais movimentados de Londres, a obra retrata uma criança segurando o símbolo da Extinction Rebellion, sentada em frente a uma planta que brota do solo e uma pá. O grafite traz ainda a inscrição: “A partir deste momento, acaba o desespero e começa a tática”.

A autoria da obra ainda não foi reivindicada por nenhum artista. Especialistas em arte, no entanto, atribuíram o grafite a Banksy, cuja verdadeira identidade é conhecida por poucas pessoas no mundo.

“Acho que é praticamente certo que é dele [Banksy]”, afirmou ao jornal londrino Evening Standard oleiloeiro Andrew Tetley.

O colecionador John Brandler, que tem uma galeria e várias obras de Banksy, afirmou ao jornal britânico The Guardian não ter dúvida que o mural foi feito pelo artista, tanto pelas características do desenho quanto pela causa apoiada.

Um porta-voz do distrito de Westminster confirmou que a autoria do grafite será investigada, mas não disse se o desenho será protegido como uma peça de arte pública, devido ao elevado valor dos trabalhos do artista.

Alguns ativistas que ainda estão protestando na região do Marble Arch disseram que não viram quem fez o grafite, mas acreditam realmente se tratar de uma obra de Banksy.

Os protestos da Extinction Rebellion paralisaram Londres por vários dias. Os ativistas bloquearam várias ruas na cidade para chamar a atenção para as mudanças climáticas. Durante os protestos, 1.130 pessoas foram presas, e 69 estão sendo processadas por obstruir via pública e resistência à ação policial.

A Extinction Rebellion surgiu no ano passado, quando milhares de manifestantes tomaram as ruas de Londres. Desde então, os “Rebeldes da Extinção” do Reino Unido ocuparam pontes sobre o Tâmisa e tiraram suas roupas no Parlamento Britânico. E o movimento deles se expandiu para mais de 30 países ao redor do mundo.

Suposto apoiador da causa, Banksy causou sensação no ano passado, quando uma de suas obras se desfez após ser leiloada por 1 milhão de libras. O artista também é conhecido por apoiar temas como imigração e refugiados, a causa palestina e o movimento dos “coletes amarelos” na França.

CN/apf/efe