“O ENCONTRO – MALCOLM X e MARTIN LUTHER KING JR”

O Encontro - Julio Ricardo

Texto expõe debate sobre rumos e estratégias pelo fim da discriminação racial fundamentados nas ideologias dos dois ícones norte-americano

Temática global e urgente, a luta contra a opressão, discriminação e exclusão dos negros na sociedade é o ponto de partida do espetáculo “O Encontro – Malcolm X e Martin Luther King Jr”, que estreia dia 1º de agosto, às 21h, no Sesc Consolação. Dirigida por Isaac Bernat, a encenação narra, num encontro fictício de Malcolm X e Martin Luther King Jr. num hotel do Harlem, as diferentes ideias, atuações e estratégias dos dois maiores líderes negros de todos os tempos.

Primeira montagem brasileira, estreada em 2018 no Rio de Janeiro, o texto do norte-americano Jeff Stetson com tradução e adaptação de Rogério Corrêa não se restringe apenas ao lado político e histórico presentes nas trajetórias dos dois referenciais norte-americanos. O humano em ambos invade a cena e nos faz entender que, por trás de qualquer ideologia ou estratégia de ação, existe alguém com dúvidas, contradições, idealismo e paixão pela causa a que se dedica.

Estamos diante de uma dramaturgia irretocável, contundente, terna e humana, que trata de questões como o racismo, a discriminação e a injustiça social, condutas que impedem a sociedade de ser justa e igualitária. As visões e as práticas de Malcolm e Martin têm muito a nos inspirar e ensinar neste momento onde a humanidade parece perdida e sem esperança. Aline Mohamad e eu estamos há anos tentando encená-lo e agora chegou a hora”, pontua Isaac. 

Enfatizando a luta pelos direitos civis americanos no fim do século passado, o texto segue atual, uma vez que existe um debate dentro dos segmentos progressistas da população sobre como lidar com a desigualdade e a enorme segregação racial do Brasil, que se apresenta de forma mais sutil e insidiosa do que nos Estados Unidos.

A montagem é importante neste momento porque vivemos um período de fortes polarizações e intolerâncias de diversas ordens. Nós, negros, ainda estamos em situações de muita desigualdade. Esse diagnóstico se tornou clichê, mas é uma realidade”, observa Izak Dahora, intérprete de Malcolm. “Ele era cerebral e estrategista e, ao mesmo tempo, instintivo e dono de uma intuição poderosa e uma força demolidora”.

Rodrigo França, que vive Luther King Jr., engrossa o coro. “Embora seja um crime, ainda temos uma tendência de escamotear o racismo, que no Brasil mata, fere, exclui e enlouquece. Esta montagem é mais uma para tocar nessa ferida. À medida que espetáculos trabalham essa temática, a gente contribui para a reflexão sobre esta realidade. Martin mostrou que vale a pena lutar e buscar uma sociedade mais igualitária e com mais equidade, sempre se valendo da diplomacia, cordialidade e pedagogia como ferramentas”.

Apesar de terem vivido na mesma época, historicamente os ativistas fizeram diferentes trajetórias e só se encontraram durante poucos minutos, num rápido aperto de mãos. Além disso, ambos foram assassinados na década de 1960 e com a mesma idade: aos 39 anos. Cada um, ao seu modo e com suas crenças, deu a vida por um ideal que continua sendo buscado em vários países, inclusive o Brasil, e deixaram marcas eternas na luta pelos direitos humanos.

SINOPSE:

A peça serve como um palco de debate para questões fundamentais sobre os rumos e estratégias da luta pelo fim da discriminação racial. O autor, Jeff Steson, nos revela através dos diálogos a humanidade dos dois grandes líderes americanos.

SOBRE O DIRETOR:

Isaac Bernat é ator, diretor, professor de interpretação no curso de Artes Cênicas da CAL e doutor em Teatro pela UniRio com a tese que resultou no livro “Encontros com o griot Sotigui Kouyaté” (Editora Pallas, 2013). Como ator, seus últimos trabalhos são: Agosto (dirigido por André Paes Leme); Céus e Incêndios (ambos dirigidos por Aderbal Freire-Filho); Cara de Fogo (dirigido por Georgette Fadel). Entre a peças que dirigiu destacam-se Carolina Maria de Jesus – EU Amarelo”, de Elissandro de Aquino; “Por Amor Ao Mundo – Um Encontro com Hanna Arendt”, e “Deixa Clarear”, de Marcia Zanelatto; e “Calango Deu – Os causos da Dona Zaninha“, de Suzana Nascimento. Recebeu o Prêmio Coca-Cola de Melhor Ator por “As Aventuras de Pedro Malazartes”; Prêmio Botequim Cultural de Melhor Ator e Prêmio Aplauso de Melhor Elenco por “Incêndios”; e o Prêmio Zilka Salaberry de Direção por “Lili, Uma História de Circo”.

SOBRE O TEXTO:

A peça recebeu vários prêmios nos EUA, como oito Prêmios de Teatro da NAACP (1987); Prêmio para Dramaturgos Louis B. Mayer (1984); Prêmio Ohio State Achievement of Merit Award (1990), além de seis indicações para o Prêmio New York Audelco (1987).

SOBRE MARTIN E MALCOLM:

Martin Luther King Jr. foi a pessoa mais jovem a receber o prêmio Nobel da Paz, aos 35 anos, em 1964. Quatro anos depois foi assassinado, em 4 de abril de 1968, em Memphis, no Tennessee. Doutor em Teologia pela Universidade de Boston e Pastor de uma igreja Batista de Montgomery, no Alabama, Dr King, como era chamado, assim como Mahatma Gandhi, pregou a não violência como forma de protesto contra a segregação racial. Ele foi também, um grande ativista na luta contra a desigualdade econômica e as guerras, como a dos EUA contra o Vietnã.

De acordo com Manning Marable, o seu mais importante biógrafo, Malcolm X sofreu várias metamorfoses ao longo da curta vida. Nascido numa família pobre na pequena cidade de Omaha, no Nebraska, foi ladrão, agenciador de prostitutas e viciado em drogas antes de se tornar o grande líder muçulmano e preconizador de uma revolução mundial dos negros.  O tempo passado na cadeia também deixou marcas profundas em Malcolm que, neste período, estudou muito e ao sair abandonou o crime, tornando-se um dos maiores oradores de todos os tempos.

FICHA TÉCNICA:

Texto – Jeff Stetson

Tradução e adaptação – Rogério Côrrea

Direção – Isaac Bernat

Elenco – Drayson Menezzes, Izak Dahora e Rodrigo França

Músicos – Caio Nunes e Luíza Loroza

Direção Musical – Serjão Loroza

Assistência de Direção – Luíza Loroza

Assistência de Direção Musical – João Felipe Loroza

Orientação Científica – Lourenço Cardoso

Cenário – Dóris Rollemberg

Figurinos – Desirée Bastos

Fotos – Julio Ricardo

Vídeos – Caleidoskópica Produções – ClaraEyer e Elea Mercúrio

Programação Visual – Raquel Alvarenga

Idealização – Aline Mohamad e Isaac Bernat

Produção e Realização – Corpo Rastreado e MS Arte & Cultura

SERVIÇO: 

O ENCONTRO – MALCOLM X E MARTIN LUTHER KING JR

Temporada: 01 a 11 de agosto de 2019

5ª a Sábado – 21h / Domingo – 18h

Duração: 65 minutos

Classificação Etária – 12 anos

Teatro Anchieta – Sesc Consolação

R. Dr. Vila Nova, 245 – Vila Buarque

Tel.: (11) 3234-3000

Ingressos – R$ 12,00 (trabalhador do comércio de bens, serviços e turismo matriculados no Sesc e dependentes/Credencial Plena) | R$ 20 (aposentado, pessoa com mais de 60 anos, pessoa com deficiência, estudante e servidor de escola pública com comprovante) | R$ 40,00 (inteira).