Reino Unido: mais de 3 milhões de europeus já solicitaram permanência

Com o início do processo de transição do Brexit, cada vez mais cidadãos europeus realizam o processo de mudança de status, de acordo com o novo sistema de permanência estabelecido pelo Reino Unido. O número de pedidos já ultrapassa três milhões de moradores da comunidade.

A maior parte das aplicações está concentrada entre poloneses (512.000), romenos (436.000) e italianos (291.000). De qualquer forma, os cidadãos de Espanha e Portugal também estão incluídos nas 10 principais nacionalidades, ainda que em uma proporção menor.

No início deste ano, em particular, 171.260 espanhóis já haviam solicitado o settled ou pre-settled status, enquanto o número de portugueses era 231.230. E os números continuam aumentando.

Quase todos aprovados

Segundo informações do Ministério do Interior, do número total de candidatos, apenas seis foram rejeitados e essas pessoas não podem se instalar no Reino Unido. Como as autoridades justificaram, é uma decisão baseada em fatos de “crime grave”. De acordo com esse conceito, os membros da comunidade sob esta consideração são avaliados como uma “ameaça genuína, presente e suficientemente séria” para que não possam permanecer no país. É o caso, por exemplo, daqueles que receberam condenações penais graves.

Quanto tempo pode ser aplicado?

Incerteza é a palavra que abunda em direitos e novas regras para os cidadãos do bloco comunitário. No entanto, algumas datas foram marcadas como uma referência para aliviar o sofrimento.

Uma delas é o prazo para entrar e ter direitos como membros da comunidade. No momento, sabe-se que até 31 de dezembro de 2020, as condições dos europeus que vivem no país e as dos novos residentes permanecerão as mesmas.

No entanto, todos, sem exceção, devem solicitar o novo registro antes do prazo estabelecido para o final de junho de 2021. A recomendação prevalecente é que as pessoas que desejam se estabelecer no Reino Unido graças a um passaporte europeu ou membros da familia devem entrar antes de 2021 e fazer as inscrições o mais rápido possível.

Uma vez que tenham status de “pré-estabelecido” (menos de cinco anos) ou “estabelecido” (mais de cinco anos), os cidadãos poderão viver e trabalhar no Reino Unido, bem como usar os serviços médicos do NHS.

O que acontece após 31 de dezembro de 2020?

Aqueles que chegarem em janeiro de 2021 enfrentarão novo esquema baseado em um sistema de pontos. Embora esse método tenha sido rejeitado pelos sindicatos por considerá-lo prejudicial, especialmente no setor da saúde, por enquanto continua sendo o anúncio oficial do governo.

Durante o período eleitoral, o próprio primeiro ministro Boris Johnson havia anunciado a proposta baseada no sistema australiano que substituiria as regras de liberdade de movimento aplicadas pelo bloco europeu.

Novas medidas serão anunciadas este mês no que se refere ao futuro dos migrantes da comunidade.

Fonte: NEP