Coronavirus: uma reabertura cautelosa

Retomar a economia sem perder o foco na luta contra a Covid-19 é, neste momento, um dos principais desafios dos governos da Europa. Gradualmente, vão sendo anunciadas medidas e planos. A reabertura da atividade económica vai ser cautelosa para evitar uma nova onda da pandemia.

Alemanha

Na Alemanha, a expetativa é de alcançar, no próximo ano, uma taxa de crescimento de 5%.

Esta sexta-feira, o ministro dos Assuntos Económicos revelou que o governo de Berlim está a trabalhar para que as empresas retomem a atividade nas melhores condições possíveis. 

Peter Altmaier sublinhou que é preciso ter cuidado para a luta contra a pandemia não ser prejudicada

Dinamarca

A Dinamarca foi o segundo país europeu a reduzir as restrições impostas à população por causa do coronavírus (depois da Eslováquia). Os donos dos pequenos comércios e empresas não escondem o alívio. 

Randi Reinhold, dona de uma clínica de estética, diz que voltar a abrir as portas “é como ter um Natal e um aniversário ao mesmo tempo”

Itália

O governo Italiano renovou o confinamento da população até 3 de maio e já garantiu que o regresso à normalidade vai ser feito com muito cuidado e com a realização contínua de testes para detetar qualquer sinal de aumento dos contágios pelo novo coronavírus.

França

Em França, o estado de emergência foi prolongado até o dia 11 de maio. 

Laurent Crochemore, diretor da empresa de vinhos “Repaire de Bacchus”, explica que para abrir vai ser preciso mudar a forma como os clientes circulam na loja e tentar encontrar o máximo de equipamento de proteção possível, para público e fornecedores.

Fonte: EN