Coronavirus: Teste de vacina em Oxford terá 10mil pessoas

A Universidade de Oxford anunciou esta sexta-feira que vai ampliar a mais de 10.000 pessoas a participação nos testes de vacinas desenhadas para combater o coronavírus, entre as quais indivíduos acima dos 70 anos e crianças com idades compreendidas entre os 5 e os 12.

Esta universidade britânica, através do Instituto Jenner para a Investigação de Vacinas, iniciou a primeira fase de provas no passado mês de abril com mil pessoas saudáveis com menos de 56 anos, aos quais se juntam agora mais de 10.200 personas, incluindo os novos grupos de idade.

“Já houve muito interesse de pessoas maiores de 55 anos para participar na primeira fase do estudo, mas não podiam ser selecionados. Agora podemos incluir grupos de maior idade para continuar com a avaliação da vacina”, explicou Sarah Gilbert, professora de Virologia do Instituto Jenner, à BBC.

Além dos maiores de 70 anos e as crianças entre 5 e 12, os especialistas também vão estudar o efeito de diversos tratamentos para a COVID-19 no sistema imunológico em pessoas com idades entre os 56 e 69 anos.

Em concreto, os investigadores vão dar aos participantes doses de diferentes vacinas experimentais, como a “ChAdOx1 nCoV-19”, para depois comparar entre os grupos as diferenças dos tratamentos.

Os especialistas do Instituto Jenner estimam que este estudo possa prolongar-se entre dois e seis meses, dependendo de quantos indivíduos estão expostos ao vírus.

Os testes feitos em macacos até à data com a “ChAdOx1 nCoV-19” indicam que os animais inoculados com esta vacina desenvolveram um certo grau de proteção face à COVID-19.

Os cientistas destacaram que a presença do vírus era menor nos pulmões e vias respiratórias dos primatas que receberam a vacina, mas advertem que estes resultados talvez não se possam transferir a humanos.

Caso o tratamento funcione, preveem poder ter um milhão de doses prontas para o próximo setembro.

Fonte: EFE