Estátua de manifestante negra substitui a do escravista Edward Colston

A estátua de uma manifestante negra de punho erguido, criada pelo artista britânico Marc Quinn, substituiu esta quarta-feira, em Bristol, no oeste de Inglaterra, a do comerciante de escravos do século XVII Edward Colston, que foi atirada para um rio durante um protesto antirracista no início de junho.

A equipa de Quinn, conhecida por trabalhos impressionantes como “Self” e “Alison Lapper Grávida”, colocou na manhã desta quarta-feira a estátua de metal e resina negra de Jen Reid, uma moradora da cidade, no pedestal onde Colston, ex-deputado conservador e benfeitor da cidade, estava desde 1895.

A nova estátua mostra Reid na posição em que ela foi fotografada no dia 7 de junho, durante o protesto, quando, afirmou hoje, sentiu “o desejo de escalar o pedestal vazio e levantar o punho contra o racismo” e em repulsa ao assassinato do negro George Floyd durante uma abordagem policial feita por um agente branco, em 25 de maio, nos Estados Unidos.

Quinn, que entrou em contato com Jen Reid através do Facebook, disse que a peça “Uma onda de energia”, que não possui uma licença municipal, estará no local temporariamente, aguardando a reação da Câmara Municipal.

A manifestante disse que a estátua, feita com uma impressora 3D, “é o que o povo de Bristol quer ver”, e enfatizou que é importante “abrir caminho para a justiça racial e a igualdade”.

O artista londrino chamou a atenção com “Self”, um busto de si próprio feito com o seu próprio sangue, e quando em 2005 a sua estátua de Alison Lapper, uma mulher deficiente sem braços ou pernas, na altura grávida, foi colocada em Trafalgar Square, em Londres.

Fonte: EFE