Bristol retira estátua de manifestante negra em Bristol por não ter autorização

A estátua de uma manifestante negra de punho erguido, que na quarta-feira substituiu a de um comerciante de escravos do século XVII na cidade inglesa de Bristol, foi retirada hoje por ordem da Câmara Municipal, que considerou que foi colocada sem autorização.

Vários funcionários municipais removeram ao começo desta manhã a escultura criada pelo artista britânico Marc Quinn, que, em metal e resina negra, representa Jen Reid, uma residente da cidade.

A Câmara Municipal de Bristol disse que a obra será colocada no museu da cidade para que o seu autor “a recolhe ou doe” para a colecção local.

A equipa de Quinn, conhecida por obras impressionantes como “Self” e “Alison Lapper pregnant”, colocou a estátua no pedestal onde a imagem de Edward Colston, um antigo deputado conservador e benfeitor da cidade, conhecido pelo comércio de escravos durante o século XVII, estava desde 1895.

A estátua de Colston foi atirada ao rio num protesto anti-racismo como parte do movimento “Black Lives Matter” a 7 de junho, uma manifestação que contou com a presença de Reid, cuja obra a retrata na posição em que foi fotografada no dia do protesto.

A mulher disse que sentiu o impulso de subir para o pedestal vazio e levantar o punho contra o racismo e em repulsa pelo assassinato do afro-americano George Floyd por um polícia branco no dia 25 de maio nos Estados Unidos.

Depois de instalar a obra na quarta-feira sabendo que não tinha permissão institucional, Quinn reconheceu que não seria uma “solução permanente” para o enclave em questão, mas disse que era a “faísca” necessária para “chamar continuamente a atenção para esta questão vital e urgente”.

Fonte: EFE