Setembro Verde: câncer que vitimou o ator de Pantera Negra é segundo em mortalidade no mundo

Alto consumo de carne vermelha, embutidos, álcool, obesidade, sedentarismo e tabagismo são alguns fatores que contribuem para a doença que pode ser diagnosticada e tratada com exame preventivo

Brasil, setembro de 2020 – O câncer colorretal, popularmente chamado de câncer de intestino, é o segundo tipo de câncer mais comum nas mulheres e o terceiro mais frequente nos homens. Em Goiás, a Sociedade Goiana de Gastroenterologia (SGG) abraça a campanha Setembro Verde que busca conscientizar sobre a importância da prevenção à doença. Para 2020, a estimativa do Instituto Nacional do Câncer (Inca) é de quase 41 mil novos casos, sendo 20.520 em homens e 20.470 em mulheres, com alta taxa de mortalidade, em torno de 48%.

Segundo o presidente da Sociedade Goiana de Gastroenterologia e médico gastroenterologistaLuiz Henrique de Sousa Filho, o câncer de intestino pode ser facilmente prevenido através da colonoscopia periódica, um exame de rastreamento que deve ser feito a cada cinco ou dez anos por pessoas com mais de 50 anos, ou a partir dos 40 anos em pessoas com parentes de primeiro grau que tiveram a doença.

“Estima-se que em 20% dessas colonoscopias de rastreamento sejam encontrados pólipos, que muitas vezes são lesões pré-malignas que podem ser retiradas pela via colonoscópica sem cirurgia, apenas com sedação. Essa é a maneira mais eficaz de prevenir o câncer de intestino que é o terceiro em maior incidência geral e o segundo em mortalidade”, afirma o presidente.

Sintomas do câncer de intestino

A melhor maneira de diagnosticar o câncer de intestino é através do exame preventivo anual a partir dos 50 anos. Isso porque, infelizmente, quando o câncer é detectado através de sintomas já evolui para uma fase avançada e só pode ser tratado com a cirurgia (ressecção do intestino) e/ou quimioterapia. Mas vale ficar alerta aos sintomas listados abaixo e procurar um médico.

  • perda de peso;
  • anemia sem causa aparente;
  • alteração do hábito intestinal;
  • sangramento nas fezes;
  • massas abdominais.

Como prevenir

Apesar de não ser possível mudar os fatores genéticos que tornam as pessoas propensas ao câncer, os riscos podem ser reduzidos com medidas simples. Por isso, a melhor maneira de prevenir o câncer de intestino é com bons hábitos de saúde, principalmente com a alimentação. Algumas orientações:

  • atividade física regular;
  • não fumar;
  • evitar o alto consumo de bebidas alcoólicas, alimentos gordurosos, carne vermelha e embutidos (que contribuem para diminuir riscos);
  • ingestão diária de fibras (25 a 30g), frutas e verduras (2,5 xícaras);
  • dieta rica em vegetais, principalmente hortaliças brássicas (brócolis, couve-flor, couve-de-bruxelas e repolho) que ajudam no desempenho intestinal evitam inflamações que podem causar o câncer.