Reta final: há menos de 10 dias para o Enem, veja dicas de estudos para o exame

Durante o ano, alunos e professores tiveram que se adaptar ao novo cenário de estudos: totalmente online

Em um ano marcado pelo estudo online, os candidatos que vão fazer a prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) já começam a contagem regressiva: faltam menos de 10 dias para a primeira prova do exame. Os participantes da próxima edição da maior avaliação de acesso ao ensino superior do País deverão seguir uma série de cuidados para evitar a transmissão do vírus, que incluem uso obrigatório de máscara, higienização com álcool 70% e distanciamento social. Além de toda essa peculiaridade, esse ano o Enem será aplicado pela primeira vez na versão online, para quem fez esta opção. As provas impressas acontecem nos dias 17 e 24 de janeiro. Já a versão digital será realizada nos dias 31 de janeiro e 7 de fevereiro.

O coordenador do Colégio Integrado – Unidade Jaó, Flávio César Borges, explica que esse foi um ano atípico e exigiu dos alunos principalmente disciplina para estudar. “Considero que o distanciamento impôs mais maturidade e organização ao estudante. Contudo, para criar uma rotina, o aluno precisa de orientação e, justamente por isso, nós identificamos a necessidade de nos aproximar virtualmente dele, com encontros semanais. As condições emocionais interferem muito e a ansiedade é uma grande vilã. É sabido, por inúmeras pesquisas, que os alunos que não se organizam numa rotina que lhe favoreça, se tornam mais ansiosos. Assim, são necessários constantes feedbacks e devolutivas de aprendizado”, esclarece.

Para auxiliar os estudantes, a escola desenvolveu o “Projeto Avança Enem”, que tem o objetivo de resgatar conteúdos que os alunos tiveram maior dificuldade, além de potencializar as melhores habilidades. “Conseguimos mapear através de estudo estatístico, o DNA dos nossos alunos, considerando suas especificidades. Após o levantamento, professores de cada área foram selecionados para montar planos de ação. Os alunos receberam os editais com os objetos de conhecimento que precisam estudar e um sumário que contém todas as aulas, bem direcionadas, e com essa organização, os alunos conseguem ter mais autonomia. Importante reforçar o nosso incentivo para o “auto-diagnóstico” do aluno, em que ele faz o próprio diagnóstico de acertos e erros, preenchendo uma chave de correção para os simulados, que é analisada estatisticamente e, com isso, conseguimos orientar melhor para quais áreas eles precisam se dedicar mais”, explica.

Estudante do Colégio Integrado, Ana Clara Schaitl Thon, 17 anos, explica os desafios para adaptação da nova rotina em casa, com estudos online. “É extremamente difícil se manter focado nos estudos em um ambiente que antes, para a maioria dos estudantes que realizavam suas atividades integralmente no ambiente escolar, era apenas associado ao descanso. A ausência do convívio diário é a parte mais difícil das aulas online, na minha opinião. A saudade é imensa. É frustrante ter que vivenciar o último ano de escola longe dos colegas e dos professores; no entanto, entendo inteiramente a inviabilidade das aulas presenciais neste cenário de pandemia”.

Com a falta da presença física dos professores, os alunos precisaram organizar uma rotina de estudos e manter a disciplina para manutenção do bom rendimento. “Estou focando nas matérias com maior peso para meu curso e, como estou estudando para a Fuvest também, esse foco se torna ainda mais essencial por causa da segunda fase. Dou extrema atenção aos simulados; acredito ser a maneira mais eficiente de ir medindo minhas habilidades naquelas matérias que não possuem tanto peso. Minha rotina se delineia da seguinte forma: assisto às aulas do matutino aproveitando os intervalos entre elas para cumprir com as demandas das matérias de menor peso. Desse modo, mantenho o foco durante o vespertino nas de maior peso. Acho muito importante também reservar momentos da semana para a prática de atividade física, que ajudam a desocupar a mente”, explica.

 

Como se preparar

O coordenador do Colégio Integrado – Unidade Jaó, Flávio César, explica que o primeiro passo é ter uma rotina de estudos que permita um aumento de rendimento. “A aprendizagem precisa ser significativa e, nem sempre, estudar mais significa estudar melhor. Essa rotina se estende para as tarefas diárias, em casa, como por exemplo, levantar no mesmo horário, tomar café da manhã, olhar o planejamento de estudos e iniciar, sem procrastinação. Também priorizar as pausas, como almoço e lanche da tarde. Esses momentos ajudam a suavizar a ansiedade e diminuir o gasto de energia”.

Confira outras dicas para se preparar para o Enem nesta reta final:

Estabeleça uma rotina

É importante que haja planejamento. Elaborar um cronograma de estudos e tentar manter uma rotina é a forma mais eficiente de potencializar o rendimento. Vale ressaltar que, não há um planejamento único, que sirva para todos os estudantes. Várias pesquisas sugerem diferentes métodos, então a dica para essa etapa de revisões é: procure o método que te cansou menos e amenizou sua ansiedade. Não serão todos os dias que os alunos conseguirão o máximo de produtividade, mas equilibrar os momentos de foco e algumas atividades físicas, auxiliam bastante.

Faça simulados

Fazer muitos exercícios e simulados, e nunca deixar de fazer os diagnósticos do que errou ou acertou. Desta forma, os alunos irão condicionar-se melhor para o tempo da prova, além de ter mais objetividade nas estratégias. Como as universidades adotam pesos diferentes para as grandes áreas do conhecimento, é muito importante o aluno conhecer os pesos e focar mais em uma disciplina ou outra. Agora é tempo de “afinar” o que é mais importante, esgotar o cérebro com muita informação não dá mais.

Cuide da alimentação e do sono

Para um bom rendimento, é importante ter uma alimentação adequada, o que garante o bem-estar, estimula a memória e sustenta a energia corporal. Assim como é preciso ter rotina de estudos, é preciso que a rotina do sono esteja adequada. O aluno deve dormir bem, o que geralmente corresponde a 8 horas diárias de sono. É importante que o tempo de descanso seja o suficiente para que o aluno esteja bem durante as atividades diurnas. Para o dia da prova, o corpo deve estar condicionado, só assim as energias estarão voltadas para a geração dos impulsos nervosos. Dormir bem, além de tudo, ajusta diversas vias hormonais que diminuem o nível de estresse fisiológico.

Estabeleça momentos para o lazer

Conciliar estudos e momentos com os familiares é fundamental para aumentar a concentração e o rendimento, fortalecendo o equilíbrio emocional. Importante ressaltar que o distanciamento social é imprescindível nesta fase, pois ajuda a manter o foco. A diversão faz parte do processo, mesmo que a distância. Assista filmes, faça uma live com os amigos, toque um instrumento, dance ou pinte, compartilhe isso com as pessoas mais queridas. Coloque na sua rotina estes momentos, há espaço pra eles e eles são importantíssimos.