Compaixão Internacional, diminuindo distâncias

ONG nasceu em Goiás e hoje atua em vários países

Brasil, Janeiro 2021 – Fundada em 2012 na cidade de Anápolis, no Estado de Goiás, pelas irmãs e biomédicas Betty e Brenda Agi, a ONG Compaixão Internacional foi criada com a missão de trazer dignidade humana para as comunidades mais carentes do Brasil e do mundo através da melhoria na qualidade de vida, promoção de projetos na área da educação, saúde, empreendedorismo, empoderamento econômico, igualdade social, racial e combate à pobreza.

Alinhado aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Agenda 2030 da Organização das Nações Unidas, a ONG alcança atualmente 17 países, entre eles Angola, Chile, Moçambique, Paraguai e Senegal, também dez das comunidades mais carentes do Brasil, como comunidades indígenas e a cracolândia de São Paulo.

Por meio da transformação e excelência a organização possui quatro núcleos de ação e seis projetos: o Doe Chinelos, uma mobilização internacional para doação de pares de chinelos novos para crianças e adultos abaixo da linha da pobreza com mais de 50 mil pares doados até janeiro do ano de 2020; o Campo, um centro de assistência médica, preventiva e odontológica que oferece tratamentos, cuidados e educação em saúde por meio de uma equipe multidisciplinar de estudantes e profissionais.

O Projeto Compaixão no Rio de Janeiro, uma equipe localizada em Nova Iguaçu para prestar assistência a comunidades e organizações locais, garantindo direitos básicos através de doações, palestras, atendimentos e treinamentos; o Compaixão no Sertão, uma ação de impacto anual em pontos estratégicos do sertão brasileiro apoiando iniciativas locais, prestando assistência na área da saúde, doações de chinelos, cestas básicas e treinamentos a população das comunidades;

O Projeto Kiluba, um escola de corte, costura e artesanato em Anápolis e em Luanda, na Angola, com aulas gratuitas para mulheres em estado de vulnerabilidade social, além de quatro modalidades de cursos, as mulheres também contam com aulas de gestão e finanças e kits para iniciarem seus próprios negócios; e o Projeto O Sol é Para Todos, iniciado em 2014, trabalhando com a promoção dos direitos de pessoas albinas no Brasil e no continente africano, por meio da conscientização, doações de óculos e protetores solares, consultas oftalmológicas e dermatológicas gratuitas, produção de material gráfico e audiovisual para Guia para pais e Professores de crianças com albinismo e produção e doação de bonecas albinas para crianças.

Com mais de dez anos de dedicação às causas sociais, as irmãs Brenda e Betty palestraram em grandes eventos como o TEDx Talks, por dois anos consecutivos, e foram reconhecidas como duas dos 100 afrodescendentes mais influentes do mundo em listagem reconhecida pela ONU. Além da profissão de biomédica, elas atuam como gerentes de projetos, designers, palestrantes e consultores na ONG. O trabalho da organização gerou mais de 600 alunas no Projeto Kituba, mil atendimentos médicos e odontológicos, mais de dois mil voluntários e reconhecimento na mídia e no mundo.