“Made in Bangladesh”

Dirigido por Rubaiyat Hossain, “Made in Bangladesh” conta a história de Shimu, costureira de uma fábrica de roupas. Um acidente no local de trabalho causa a morte de uma colega de trabalho. Percebendo a própria vulnerabilidade, e incentivada por um ativista, ela lidera a fundação do primeiro sindicato da insútria têxtil no país.

A história é baseada em fatos reais. Enquanto pesquisava sobre a indústria têxtil em Bangladesh, a cineasta Rubaiyat Hossain, Berlinale Talent de 2017, conheceu a história da jovem costureira Daliya.

“Quando a conheci, ela imediatamente demonstrou interesse. Eu percebi como a história de vida dela era dramática. Ter saído de casa com apenas 12 anos para morar na cidade já diz algo sobre essa jovem: que ela não se deixa derrotar, é uma lutadora. Acho que foi o que realmente me atraiu: esse espírito de lutadora. Vi algo de muito especial nela. Mostramos a ela o roteiro final e ela participou do ensaio com as atrizes, ensinou a operar a máquina de costura. Ficamos todas amigas, e queríamos contar essa história juntas”, lembra a cineasta.

Contra todas as probabilidades, a protagonista da vida real consegue fundar um sindicato: “quando as coisas ficaram difíceis, quando colegas foram demitidas, o chefe descobriu o que estavam fazendo, as amigas de Daliiya se voltaram contra ela. Começaram a dizer que não podiam perder o emprego, que precisavam sustentar a família, e que o trabalho era muito importante. Eu acho que essas jovens mulheres têm muita consciência dos direitos delas, mas talvez muitas não tenham condicoeslutar até o fim. Para isso precisam de uma verdadeira líder.”

A cineasta Rubaiyat Hossain pesquisou por dois anos antes de começar a filmar. A diretora vive entre os Estados Unidos e sua terra natal – mas o trabalho dela é focado em Bangladesh. Rubaiyat trabalha com ONGs, dirige workshops para mulheres e participa da formação de novas diretoras. Além disso, fundou uma iniciativa contra a violência doméstica. “Made in Bangladesh” estreou no Festival de Cinema de Toronto e também foi exibido em Locarno.

Fonte:DW