Vacinas aprovadas são eficazes contra todas as variantes

O gabinete regional da Organização Mundial da Saúde (OMS) para a Europa disse esta quinta-feira que as vacinas contra a covid-19 aprovadas até agora são eficazes contra “todas as variantes”.

No entanto, durante uma conferência de imprensa sobre a evolução da pandemia, o diretor regional da OMS para a Europa, Hans Henri Kluge, pediu “cautela” e argumentou que a situação pandémica é uma “ameaça persistente” e com “novas incertezas”.

“As vacinas podem ser a luz ao fundo do túnel, mas não podemos ser cegados por essa luz”, destacou Kluge.

A OMS está a acompanhar de perto a evolução das quatro variantes mais proeminentes que detetou na Europa, as quais denomina “de interesse” ou “preocupantes”.

A variante dominante na região é a primeira detetada no Reino Unido, mas a variante indiana já foi relatada em 26 dos 53 países que constituem a região europeia da OMS.

A mutação indiana, por exemplo, propagou-se “em muitos casos” devido a viagens internacionais, embora a transmissão comunitária também tenha sido detetada.

A este respeito, Kluge destacou que as viagens internacionais não essenciais devem ser evitadas e mostrou-se cético quanto à possibilidade da criação de “passaportes de vacinação”, embora tenha reconhecido que o turismo é uma fonte de rendimento vital para algumas regiões.

Por sua vez, a responsável da área de Emergências da OMS na Europa, Catherine Smallwood, advertiu que, num momento de “alta transmissão” como o atual -apesar do declínio na incidência regional- e com a “ameaça” de uma nova variante preocupante, é necessário ser “extremamente cuidadoso” e refletir bem sobre qualquer decisão de desconfinamento.

“Temos de redobrar todos os esforços”, destacou Smallwood, que se mostrou a favor da manutenção dos requisitos de viagem, tais como testes e quarentenas em certas situações.

Fonte:EFE