Workshop promove inserção de jovens refugiados e migrantes no mercado de trabalho de Manaus

ACNUR/Felipe Irnaldo Venezuelano morando em Manaus, Darwin foi um dos participantes do Workshop realizado pela ONG Hermanitos na cidade.

 

Iniciativa implementada pelo ACNUR e ONG Hermanitos facilita a inclusão desta população em programas de aprendizagem, orienta sobre processos seletivos e informa sobre dinâmicas no ambiente de trabalho

Manaus, setembro de 2021 – Um grupo de 50 adolescentes venezuelanos está contando com apoio da ONG Hermanitos para obter a primeira oportunidade no mercado de trabalho em Manaus.

Eles são os primeiros participantes do Workshop Hermanitos de Empregabilidade para Jovens, realizado em parceria com a Agência da ONU para Refugiados (ACNUR), para beneficiar adolescentes e jovens venezuelanos com avaliações psicológica e comportamental, palestras de marketing pessoal e saúde mental, além de dicas para preparação de currículos e oportunidades de aprendizagem e estágio.

A primeira edição foi realizada no início deste mês no Palacete Provincial de Manaus, localizado no Centro da cidade, e atendeu a um público de 14 a 23 anos. Foi uma oportunidade para adolescentes como o venezuelano Jose Rodríguez, 15 anos, de conhecer mais sobre formações e oportunidades de aprendizagem no Brasil, e obter dicas para conquistar a primeira oportunidade no mercado.

“Meu sonho é trabalhar com marketing digital, estou estudando para conseguir alcançar esse objetivo. O workshop tem trazido coisas importantes sobre esse primeiro contato com o mundo profissional, e de como devemos nos preparar, estudando, se esforçando e organizando”, destaca Rodriguez, que veio acompanhado da mãe, Naomi Rodriguez Mendonza (53).

A família veio em 2018 do estado de Aragua, e tem contado com apoio do Hermanitos em diversas iniciativas de qualificação, incluindo os Workshops, Jornadas de Empregabilidade, sessões de orientação para processos seletivos e mercado de trabalho,e aulas de português.

Naomi (à esquerda), José (em pé, à direita) e restante da família participaram da oficina. Grupo frequenta atividades de empregabilidade realizadas pelo Hermanitos. ©ACNUR/Felipe Irnaldo

“Quero voltar a trabalhar com massoterapia no Brasil, o que eu fazia na Venezuela. Estamos batalhando de diversas formas para manter a casa, mas também procurando estudar. Estou estudando português, e decidi trazer meus filhos e sobrinho para este curso de vocações, pois quero que sejam aprendizes. Está trazendo muitas dicas importantes para mim,e imagino que para eles também”, destaca a venezuelana Naomi, que está há três anos no Brasil.

Para a coordenadora do projeto Hermanitos, Djane Medeiros, a estratégia do workshop é criar um ambiente para abordagem de temas que são importantes nesta fase da carreira, como organização e preparação profissional.

“Queremos desenvolver todo o potencial que estes jovens têm para suas carreiras. A partir dos testes comportamentais e entrevistas realizadas com os jovens, nós poderemos identificar necessidades e oferecer treinamentos e outras iniciativas para o grupo, acompanhando seu desenvolvimento até o mercado de trabalho”, destaca a coordenadora.

Atividades mobilizam refugiados de 14 a 23 anos para refletirem sobre primeiro emprego no Brasil. ©ACNUR/Felipe Irnaldo

Segundo o assistente sênior de Soluções Duradouras do ACNUR em Manaus, Rafael Yoshida Machado, o workshop e o acompanhamento dos jovens pelo Hermanitos possibilitam que refugiados possam pensar em carreira no longo prazo ao chegarem no Brasil.

“Estas ações são estratégicas pois convocam os jovens a refletirem sobre perspectivas profissionais além do curto prazo, ou seja, para além da chegada e da sobrevivência, os convidando a pensar no futuro de uma carreira sustentável no longo prazo em Manaus ou onde tiverem interesse, chegando melhor preparados para processos seletivos e para o mercado de trabalho brasileiro”, destaca Machado.

Novos Workshops devem ser realizados, com programação a ser divulgada no site do Hermanitos. Juntos, ACNUR e a ONG têm promovido uma série de iniciativas voltadas à empregabilidade de refugiados e migrantes venezuelanos, além de brasileiros, em nível local. São realizadas interações com empresas e categorias profissionais no Amazonas, com agências de recursos humanos, além de workshops e cursos técnicos para pessoas refugiadas e migrantes que estejam em Manaus.

O projeto recebe o apoio de doadores como o Escritório de População, Refugiados e Migração (PRM) do Departamento de Estado dos Estados Unidos, que realiza importantes contribuições flexíveis, possibilitando que o ACNUR e seus parceiros desenvolvam diferentes projetos e ofereçam proteção aos mais vulneráveis em contexto emergência.